O Dia Que Virei Puta Dos Meus Advogados

Este será o primeiro de vários relatos meus de transas muito loucas e diferentes! Bom, meu nome é Aline, tenho 28 anos e sou uma loira de olhos escuros, peitos grandes e siliconados, magra com cintura fina, coxas grossas e uma bunda super grande, redonda e dura, uma cavala como dizem.

Fui casada dos meus 18 até meus 25 anos, isso sem contar o tempo em que eu namorava meu ex-marido. Antes de começar a virar essa puta louca que sou hoje, meu ex, tinha sido o único homem com quem eu tinha trepado na vida, isso até a data da minha separação. 

Me separei dele porque ele estava me traindo, com uma secretária de 18 anos que trabalhava em nossa empresa.

Depois da separação, decidi fazer todas as loucuras que tinha escutado e visto em filmes. 

Fiquei tão puta nesses últimos 3 anos, que uma das minhas melhores amigas, que inclusive é esposa do meu irmão, quando conto as coisas que tenho feito ela chega e fala para mim: “Cunha, você está sentando em mais rolas que uma atriz pornô amiga, puta demais”.

Essa transa de que vou contar hoje, aconteceu logo depois que rolou o meu divórcio. 

Essa foi uma daquelas transas completamente inesperadas, e por isso, vou começar com  ela. Além do mais, nunca imaginei que eu seria fodida por dois machos, na minha primeira transa depois de separada.

Assim que descobri que ele me traiu, com aquela secretária vagabunda, eu nem pensei duas vezes e pedi a separação. Não teve papo!

É verdade que nosso casamento já não era mais o mesmo a algum tempo. Mas a traição foi o estopim para eu pedir a separação.

Além disso, ele tinha crises de ciúmes, por eu ser muito gostosa. Brigava comigo por tudo, tinha ciúmes de todos os homens que me olhavam. E vivia brigando comigo por isso.

Então, como fiquei com muita raiva dessas crises de ciúmes dele, resolvi escolher como meu advogado, um negão, lindo, gostosão, que era nosso vizinho no prédio, que era um dos homens que vivia me olhando e me secando pelo condomínio.

E claro, era um dos homens que meu marido mais odiava. Confesso também, que eu sempre olhei diferente para ele. Sempre tive a fantasia de transar com um negro, e ele era um cara muito gostoso, musculoso, super sarado, era difícil não olhar para aquele homem.

Então, como ele brigava comigo, falando que eu ficava me exibindo para o negão de biquini na piscina, decidi escolher esse negão para ser meu advogado contra meu marido no processo de separação.

Causa Ganha – Garantia de Pagamento vai ser minha bucetinha!

Causa Ganha Garantia de Pagamento vai ser minha bucetinha 1

Confesso que o dia que entrei no escritório e comecei a trocar uns olhares diferentes com ele, no fundo, minha vontade era sentar-se no colo daquele negão, e ver se a rola dele era do jeito que eu imaginava….

Bom, conforme conversávamos na reunião, que inclusive, o sócio dele também participou, eu via que ele não tirava os olhos dos meus peitos, mas claro, eu estava com um decote bem generoso, exibindo mesmo meus peitões, além disso, tenho uma mania de não usar sutiã, o que marca ainda mais. E claro, eu estava separada, e queria mesmo exibir meu corpão.

Então, em repetidas vezes eu o via olhando meus peitões e o sócio dele também., Confesso que senti um tesão absurdo em ficar me exibindo para os 2 machos na sala, que provavelmente estavam loucos para me foder, e eu, ser completamente fodida por eles.

Nessa hora, comecei a fazer uma das coisas que mais adoro fazer hoje. Provocar os machos. Me debrucei na mesa, quase como se estivesse chamando-os para dentro do meu decote. Nessa hora, os dois se olharam e começaram a rir.

Depois disso, ele começou a olhar descaradamente para meus peitos, até que ele me disse:

– Aline, tem uma geladeira ali do lado da minha mesa, por que você não pega uma bebida para nós? Já que você está adorando exibir esses peitões para nós, aproveita e desfila essa bunda enorme para nós também, como você fazia lá no prédio e deixava todos os machos de pau duro na piscina do condomínio…

Confesso que de primeira, fiquei meio sem jeito, mas eu estava com tanto tesão, que só dei uma risadinha, levantei-me, virei a bundona para eles, e fui rebolando toda puta na direção da geladeira.

Eu estava com tanto tesão, que quando cheguei, dei até uma agachada, deixando minha bunda empinada na direção dele, como naquelas cenas filme pornô, onde o vestido da atriz sobe exibindo a calcinha fio dental no meio da bunda.

É claro, fiz isso e fiquei por alguns segundos assim, só para provocar ainda mais eles.

Então, peguei uma bebida que tinha na geladeira, voltei rebolando bem safada enquanto eles só sorriam vendo a cena. 

Assim que cheguei bem perto deles, quase com os peitões na cara do negão, servi os dois copos deles, como se eu fosse a empregada deles. Voltei rebolando toda vadia para o meu lugar, e assim que me sentei, o negão prontamente foi dizendo:

– Que é isso, Aline!… Sorte a sua que nós estamos nesse escritório, se não, eu ia me levantar agora mesmo, arrancar isso que tu chama de vestido e te deixar peladinha aqui pra nós…

Aí, eu toda cadela, tomei um gole e respondi daquele jeito bem puta:

Bom, se vocês ganharem a minha causa, eu faço questão de vir aqui com esse mesmo vestido e quero ver se você vai cumprir essa ameaça…

Ele sou me olhou dentro dos olhos e disse:

– Eu vou ganhar essa causa, eu tu vai passar a tarde inteira pelada aqui nesse escritório Aline, te prepara!

Só dei uma risadinha e disse:

– Sou uma mulher de palavra, e trato é trato.

Levantei-me, me despedi dos dois e pouco antes de sair da sala do escritório deles, olhei para trás. 

Fui na direção da mesa, botei a mão por baixo do vestido, tirei minha calcinha fio dental, joguei em cima da mesa e disse:

– Essa é a garantia do meu pagamento.

Fiz isso com aquela cara de safada, e sai rebolando bem cadela!

Meus amigos, quando cheguei na minha casa, minha buceta estava pingando, completamente melada! Minha vontade, era ficar pelada em cima daquela mesa e foder com os 2 homens ali mesmo, mas consegui me segurar, para fazer isso caso eles ganhassem o caso.

Bom, depois de tudo isso, fiquei uns 2 meses praticamente falando com ele só pelo WhatsApp, até o dia do julgamento. Assim que o julgamento terminou, o juiz deu causa ganha para nós, na mesma hora, o negão me deu aquela olhada de safado, e claro que eu retribui do mesmo jeito, bem putinha, eu já sabia o que me esperava…

Assim que saímos, e fomos ficando sozinhos ele já chegou bem perto de mim, deu para sentir o perfume dele, ele pegou na minha cintura e falou bem no meu ouvido:

– Espero que não tenha esquecido da sua promessa  Aline…

Eu só respondi:

– Pelo jeito, está querendo essa loira aqui pelada te servindo uma bebida lá no teu escritório,  negão safado…

Ele respondeu:

– Sim, e tenho certeza de que você está louca pra se exibir peladona pra mim, sua putinha (falou isso já com a mão na minha bunda) e não só pra mim, sei que vai adorar exibir essa raba enorme pro meu sócio também…

Eu acho que ele falou isso achando que eu iria reclamar ou negar, ou mesmo me testando, para ver o que eu estava disposta a fazer, então eu só respondi:

– Já que é assim, pede para ele dispensar a secretária de vocês, assim eu posso servir vocês dois bem mais à vontade… (assim que terminei de falar isso, dei uma apertada o pau dele por cima da calça. Soltei o pau dele e falei mais)

– Só vou até minha casa, colocar uma roupa mais confortável para meus dois machos…

Fui até minha casa, escolhi uma lingerie roxinha, que ficava toda atolada no meio da minha bundona, e com os peitos quase pulando para fora. Joguei um vestido por cima e fui para o escritório deles, pronta para a festinha.

Assim que cheguei, já estava vazio o escritório, mas a secretária dele disse que ele já estava me esperando. Assim que ela me deu o recado, pegou as coisas dela e saiu. Exatamente como eu disse para ele.

Assim que entrei na sala, o negão estava apenas com uma cueca branca, sentado no sofá do escritório com um copo de whisky na mão e com aquela cara de safado.

Nossa, assim que eu bati o olho naquela cueca, o pau dele estava meia bomba, e deu para ver que era uma rola grande e grossa, bem maior que a do meu ex-marido. É claro que ele percebeu minha secada na rola dele, me olhou e disse:

– Olha só, a loira mais gostosa da cidade está louca por uma pica preta e grossa né putinha?

Nem terminou de falar isso, soltou o copo e veio para cima de mim, chegando bem próximo, pegando na minha cintura, puxou meu corpo colado no dele e começou a me beijar.

Nossa, meu tesão foi no espaço nessa hora. Ele era o segundo homem que eu tinha beijado na vida. Depois de me beijar gostoso, e passar a mão na minha bundona e coxas, ele parou de me beijar e disse:

– Não era bem isso que combinamos ?

Então, eu me afastei um pouco dele, tirei o vestido ficando só com a lingerie, que mal escondia meus peitos, me joguei no sofá que tem na sala dele, toda arreganhada para ele, mostrando bem a buceta e disse:

– Você disse que arrancaria minha roupa e me deixaria pelada, você não vai cumprir?

Nossa, ele soltou o copo e veio com tudo para cima de mim, se jogando quase pelado em cima de mim e me beijando com gosto, segurando meus peitões, apertando-os, deslizando com a mão pelas minhas coxas esfregando o dedo na minha bucetinha, a sensação era maravilhosa, já estava completamente entregue para o negão, e faria qualquer coisa que ele me pedisse.

Ele me virou de costas, soltando a parte de cima da lingerie, deixando meus peitos completamente nus. Nessa hora, ele veio por trás, me encoxou, esfregando aquele pau grosso no meio da minha bunda, enquanto ele apertava meus peitos, apertava os bicos, beijava meu pescoço e falando o quanto eu era gostosa e o quanto ele sempre foi louco para me foder.

Enquanto ele fazia isso comigo, eu escuto a porta do escritório abrindo, era o sócio do negão. Assim que ele botou os olhos em mim, só de calcinha com os peitões para fora, olhou para o negão e ele disse:

– Cara, lembra da Aline, nossa cliente mais gostosa? Ela ficou de nos servir umas bebidas pelada quando ganhássemos o caso. Ela está aqui para nós pagar.

Assim que ele terminou de falar isso, me deu um tapão na minha bundona e disse:

– Vai lá puta! Cumprimenta teu outro macho!

Nossa, nessa hora, eu me senti uma bela vagabunda. Praticamente pelada com dois machos desconhecidos na sala, um deles me batendo na bunda e me chamando de puta e o outro me olhando como se eu fosse a puta dele, pronta para servi-lo.

Mas eu tenho que confessar, que eu amei aquela sensação. Sai toda cadela rebolando pela sala na direção do outro. Assim que cheguei perto ele me puxou, me lascou um beijo na boca.

Ele nem perdeu tempo, já foi com as duas mãos na minha bunda enorme. Apertando, passando a mão e passando o dedo pelo meu rego até que chegou no meu cu. 

Quando chegou no meu cu, com o dedo ele deu uma enfiada no meu cu e claro que eu soltei um gemido de tesão na hora. Assim que ele ouviu o gemido, ele virou para o negão e disse:

– Ouviu o gemido negão? Já se ligou né? Essa cavala gosta de uma rola  nesse cu enorme… Porque tu não vem ajudar ela?…

O negão se levantou, veio na minha direção, tirou a cueca e colocou aquele pauzão grande e grosso para fora, e já foi esfregando ele na minha bunda e falou:

– Meu amigo, você nem imagina. Essa cavala aqui, nunca fodeu com outro macho, senão  com aquele otário do ex-marido dela. Nós vamos ser o segundo e o terceiro a brincar com essa cavala deliciosa…

O outro cara olhou nos meus olhos, pegou nos meus peitões e já veio me beijando de novo. Assim que parou de me beijar e disse:

– Como que uma puta gostosa igual você só recebeu uma rola até hoje (falou isso apertando o bico dos meus peitos) agora putinha, fica de joelhos que eu vou te dar uma coisa que tu quer e muito.

Fiquei de joelhos no meio dos dois, pelados e eles me olhando. Pegaram as rolas, e começaram a esfregar as rolas na minha cara, na minha boca, mandavam eu ficar de boca aberta, passando a rola na minha língua, e batendo com elas no meu rosto.

Nossa, pensa na humilhação que eu estava sentindo, sendo uma cadela, apanhando de duas rolas, mas o tesão de ser a puta deles estava fora de controle. Nessa hora, o negão pegou o pau, encostou na minha boca e me mandou mamar a pica enorme dele

Peguei naquela rola e comecei a mamar ela como se fosse o último pau do mundo. Chupava com vontade! Babando no pau dele, fazendo pressão com os lábios, eu estava adorando mamar aquele pauzão preto.

Enquanto isso, outro rapaz me pegou pelos cabelos e mandou eu mamar o pau dele. Me fizeram esse rodízio de rola até que o negão me pegou pela cintura, me jogou no sofá e arrancou a minha calcinha jogando-a longe e me deixando completamente pelada.

Me colocou praticamente de quatro, com a bundona bem empinada. Veio por trás de mim, e começou a esfregar o pau na minha buceta, só para me fazer gemer e me deixar cada vez com mais tesão, louca para receber aquela rola deliciosa. Ele encostou a cabeça daquele pauzão na minha buceta, deu uma enfiada de leve me fazendo soltar um gemido de prazer e disse:

– Vai minha loira putinha! Pede pro negão, pede… eu sei que você quer! Pede pro teu macho foder essa buceta rosada, vai putinha, implora pela rola do negão

Meu tesão era tanto que só respondi gemendo e cheia de tesão:

– hummmm vai negão, me fode, mete essa rola grossa e mim, eu sei que você sempre quis me foder, agora me fode, me fode com tudo.

Ele só disse: “que puta gostosa” e socou aquele pauzão na minha buceta. Me tirando um grito com gemido. Era muito maior que a do meu ex-marido, entrou me alargando toda. Nem tive tempo de gritar com aquele pau me alargando, e o outro homem já veio pela minha frente segurando nos meus cabelos, puxou minha cabeça até a rola dele e falou:

– Cala a boca e mama minha pica sua puta! Agora negão, arromba a buceta dessa puta!

O Negão segurou na minha cintura e começou a socar o pau na minha buceta sem nenhum dó, até que a pica enorme dele começou a entrar bem de boa.

Depois desse momento, virei praticamente o brinquedo dos dois machos, os dois me foderam de tudo que é jeito que vocês possam imaginar dentro daquele escritório.

De quatro no sofá, no chão, me jogaram pelada em cima de uma das mesas e me foderam desse jeito mesmo, em cima da mesa. Chegaram a me foder até apoiada na janela, olhando para a rua com meus peitões grudados no vidro e eles bombando em mim por trás!

Depois de horas sendo a putinha particular dos dois, me jogaram na mesa do negão, aí, o amigo dele veio por cima de mim, colocou o pau no meio dos meus peitões e começou a gozar neles, enchendo meus peitos de leite.

Enquanto isso, o negão colocou o pau na minha cara e me encheu de porra! Sem exagero, foram uns 6 jatos de porra! Foi tanto leite que virou uma máscara de porra na minha cara. Eu nem conseguia abrir os olhos.

Os dois sentaram-se no sofá bebendo um pouco só me olhando. Quando comecei a tirar a porra dos olhos, já bem cansada, arrombada, e exausta, já que eu nunca tinha feito nada parecido, comecei a lavar meu rosto pra tirar a porra e me limpar, o negão falou:

– Ei minha putinha, por que está procurando suas roupas? Ainda não terminamos contigo! Ainda nem alarguei esse teu cuzão enorme!

Achei que ele estava brincando, pensei que eles não iam aguentar foder mais, então, eu virei minha bundona para os dois e disse

– É mesmo? E o que tão esperando o que para meterem nessa bundona de puta (falei isso puxando as bandas da bunda e piscando meu cu)

O outro cara jogou o copo no chão, levantou-se do sofá e veio com tudo pra cima de mim e já foi falando:

– Vem negão, vamos arrombar essa puta agora! Vamos deixar ela sem cu! Essa cadela quer!

Ele me botou no chão na mesma hora, me mandou ficar de quatro, me deu um tapão na bunda e disse:

– Negão, vou comer o cu dela antes, depois você vem e deixa ela bem arrombada! Vamos fazer essa loira de nossa cadela particular!

Ajeitou o pau no meu cu, e fincou de uma só vez, que grito que eu larguei! Ele deu um tapão na minha bunda, e me mandou eu calar a boca, falando que meu cu agora era dele. 

Ele fodeu meu cu por uns 20 minutos no chão. Aí, ele tirou a rola do meu cu, mandou eu me levantar e ir até a mesa.

Mandou-me debruçar na mesa com a bunda pra cima e com as pernas bem afastadas. Claro que obedeci. Ele encaixou o pau no meu cu segurou com força na minha cintura e começou a fincar com toda a sua força. Me fodeu por mais um tempo até quando senti ele me apertando forte. Ele tirou a rola do meu cu, trouxe ela até na minha boca, enfiou o pau nela e gozou tudo na minha boca.

Enquanto eu sentia o pau dele jorrando leite na minha boca, senti umas mãos na minha bunda, passando e segurando forte. Enquanto o rapaz gozava na minha boca, o negão foi enfiando a pica no meu cu sem nenhum dó.

Nessa hora, quase me afoguei com a porra do sócio dele chegando na minha garganta, porque o pau do negão era muito grande e muito grosso, e eu queria gritar, mas estava com a boca cheia de leite.

Não teve jeito. Engoli a porra toda. Depois disso, eu só senti aquele monstro me arrombando por quase meia hora. Então, eu reparei que eu estava tão arrombada, que sentia as bolas do negão no meu rego, tava enfiando quase as bolas no meu cu, até que ele segurou bem firme na minha cintura, soltou o corpo grande dele em cima de mim e comecei a sentir os jatos do pau dele enchendo meu cuzinho arrombado com a porra dele.

Assim que ele saiu de cima, tirando o pau do meu cu, ele estava tão arrombado, que ficou pingando porra do meu cu no chão dele. Eu estava tão cansada, que fiquei ali, arrombada nessa posição, debruçada na mesa por alguns minutos, e os dois rindo de como me deixaram.

Então, resolvi conseguir levantar-se, pedi onde era o banheiro para eu me limpar. Tomei um banho rápido. Peguei minhas coisas e me despedi deles dizendo que essa seria a primeira de muitas transas que eu teria com eles. E claro, os dois fizeram questão de dizer que a partir daquele momento, eu era a mais nova puta particular deles.

Causa Ganha Garantia de Pagamento vai ser minha bucetinha 2

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Veja o que separamos para você...